Você Sabia 4

Você Sabia? 4 – Zubiri – NAVARRA – 725,3 Km de Santiago
Zubiri está encravado no fundo do vale, totalmente impregnado pela presença de uma indústria de magnesita, que empobrece a paisagem e cobre as botas de pó. O povoado acolhe o peregrino pela ponte gótica de La Rabia, assim conhecida pelo fato de os moradores levarem seus animais para dar três voltas ao pilar central de sua arcada para curá-los do mal da raiva.
Vale um passeio por Zubiri, para apreciar seu casario, bem como visitar a igreja de San Esteban Protomartir, uma construção mais recente, pois a anterior foi destruída durante a guerra Carlista. Em 1040, o rei de Nájera-Pamplona Gracia Sanches III doou ao povoado um monastério beneditino, do qual já não existe nem ruínas.
Seguem-se os minúsculos povoados de Ilaratz e Ezkirotz, sem atrativos.
Larrasoaña (ou Larrasoina) – NAVARRA – 719,7 Km de Santiago
Este é um povoado importante na história do Caminho. Já no século XI contava com um hospital-albergue de peregrinos mantido por monges agostinhos. No século XII recebeu foro de zona franca: artesãos estrangeiros, geralmente franceses, atraídos pelas concessões e privilégios que os reis outorgavam aos novos vilarejos.
A igreja dedicada a São Nicolás de Bari é do século XIII e parte dela é em estilo gótico. Algumas de suas casas têm mais de cinco séculos e ainda guardam seu estilo original.
A partir de Larrosoaña, o rio Arga vai conduzir o caminhante rumo a Pamplona, numa sequência de bosques de faias, pinheiros, fetos e heras, além de povoados congelados no tempo e pequenos em demasia para conter o avanço dos peregrinos, mas que, em sua simplicidade, têm sempre algo a mostrar: Akerreta; Zuriain: igreja de San Millán; Irotz: ponte românica; Zabaldika: igreja de San Esteban, do Século XIII, e Arleta: ermida de Santa Marina e um magnífico casario navarro composto pelo palácio dos senhores locais.
Aos poucos, no convívio com outros peregrinos, percebe-se que o Caminho é uma espécie de Babel redimida, abençoada por Deus, onde caminhantes de todos os continentes, por diferentes que sejam seus idiomas e credos, acabam por se entender.
Trinidad de Arre (Villava ou Atarrabia) – NAVARRA – 709,1 Km de Santiago
Arre é um lugar estratégico, habitado desde a época romana. Ali, ao atravessar a ponte medieval de seis arcos sobre o rio Ultzama, retoma-se ao traçado original do Caminho e, logo adiante, se chega à basílica da Trindade. O templo original é de estilo românico de nave única, com torre e cabeceira com abside semicírculas, edificado no final do século XI.
O convento Santísima Trinidad de Arre e albergue de peregrinos provavelmente já estava em funcionamento no século XI. Nos dois séculos seguintes, o convento alcançou seu máximo esplendor como centro eclesiástico que se encarregava da arrecadação de tributos e em torno do qual se desenvolviam novos caminhos, indústrias, centros artesanais e vilas.
A igreja de San Román de Arre que se localiza sobre uma colina, é do século XIII, num estilo de transição entre o românico e o gótico, o que a torna interessante do ponto de vista arquitetônico.
Burlada – NAVARRA – 707,7 Km de Santiago
Em Burlada, os reis de Navarra tinham um palácio que estava conectado com a antiga igreja românica por uma passagem de uso privado. Ambas as construções hoje são ruinas. A ponte românica que cruza o rio Arga, construída sobre seis arcos e várias vezes reformada, dá uma medida da importância atribuída à localidade no passado.
São do início do século XX os vários palacetes da cidadezinha, sendo o mais significativo o palácio Uranga, no qual são realizadas exposições de arte. Tanto em seu interior quanto no exterior há cafeterias, onde o peregrino pode restaurar-se, enquanto aprecia a vista do parque que rodeia a propriedade.