Você Sabia 8 – Mañeru – NAVARRA – 676,1 Km de Santiago

8 – Mañeru – NAVARRA – 676,1 Km de Santiago

Mañeru pertenceu à Ordem Militar del Hospital de San Juan de Jerusalén- os monges hospitalários -, do século XIII até o ano de 1555, quando passou a ser uma vila autônoma.

Na Guerra da Independência contra os franceses, ocorreu ali a Batalla de Mañeru, em outubro de 1812, em que as tropas espanholas de Espoz y Mina infringiram severas baixas ao exército de ocupação.

A vila ainda conserva restos de uma igreja gótica e surpreende pelo bom estado das casas e ruas. A igreja paroquial de San Pedro possui um retábulo barroco do século XVIII.

Dizem que San Román foi torturado e decapitado em Mañeru e que sua cabeça ainda lá se encontra. Grande pregador, sofreu nas mãos dos soldados romanos e os fez sofrer também, pois não parava de falar. Para fazê-lo calar-se, cortaram-lhe as faces, sem sucesso. Cortaram-lhe, então, a língua e, enfim, a cabeça. Ainda assim, o santo juntou a cabeça, segurou-a debaixo de um braço e continuou sua pregação, por algum tempo.

Logo à saída da cidadezinha, inicia uma agradável trilha. As grandes extensões de vinhedos de ambos os lados da trilha, confirmam que se está chegando à terra dos vinhos.

O castro de Gasteluzar fica entre Mañeru e Cirauqui. Pesquisas arqueológicas indicam que o local era habitado e servia de ponto de defesa desde épocas muito remotas, provavelmente anteriores à Idade do Ferro. Os restos de suas muralhas, fossos e fundações de casas e depósitos demonstram o quão estratégico era dominar a elevação onde se situa a fortificação. Ademais, as terras no entorno são férteis, irrigadas pelo rio Salado.

Cirauqui (ou Zirauki) – NAVARRA –  673,5 Km de Santiago

Graças à sua privilegiada localização, Cirauqui – Ninho de Víboras, em euskera, idioma basco – foi escolhida como assentamento desde épocas remotas. Também os romanos marcaram sua presença, como atestam a estrada e a ponte por eles construídas e que levavam a Andelos.

Nos tempos medievais, foi um lugar bastante agitado. O surgimento da peregrinação a Santiago de Compostela fez com que fossem construídos um hospital e um albergue para dar guarida aos caminhantes e enfermos.

Encravado no alto de um morro, oferece ao caminhante um agradável conjunto medieval envolto em restos das muralhas.

A igreja de San Román – do século XIII -, expandida e remodelada nos séculos XVI e XVII -, situa-se no ponto mais alto da cidade. Sua fachada é em arco, com forte influência árabe. Seu interior abriga três altares barrocos, do século XVIII, e uma bela cruz renascentista de prata, do século XVI.

Sua igreja de Santa Catalina de Alejandría é do século XII, reformada no século XVI. Sua planta é uma cruz latina de nave única. Sua portada é feita de oito arquivoltas. O retábulo do altar-mor, dedicado à padroeira, é barroco, dos primeiros anos do século XVIII. O retábulo da Virgen del Pilar é rococó e o de San Blas é românico. No coro podem ser vistas várias esculturas dos séculos XVII e XVIII, além de um órgão neoclássico, do século XVIII.

A ermida de Aniz, de estilo pré-gótico ou românico tardio, é do final do século XII.

À saída de Ciruaqui o peregrino terá outra surpresa: os únicos restos de uma calçada romana que serviu de embrião ao que mais tarde os reis navarros converteram em caminho medieval e rota jacobeia. As calçadas romanas tinham entre cinco e oito metros de largura e um perfil abaulado para drenar a água e quatro camadas de diferentes materiais para lhes dar durabilidade. Grande parte foi espoliada e aproveitada em outras obras.

Diz-se que, junto ao rio Salado, os navarros aguardavam que os peregrinos dessem de beber a seus cavalos e, quando estes morriam pela ingestão da água salobra, aproveitavam-se da carne.

Lorca – NAVARRA – 668,2 Km de Santiago

O nome Lorca provém do árabe e significa “a batalha”, pois ali houve um enfrentamento entre os exércitos cristãos e muçulmanos. Conhecida como a batalha de Valdejunquera, o exército do emir de Córdoba Abderramán III combateu e os exércitos aliados do rei de León Ordoño II e do rei de Pamplona Sancho Garcés I, em 920, em que estes foram derrotados.

Villatuerta NAVARRA – 663,3 Km de Santiago

Antes pequena e pacata, Villatuerta desenvolveu-se em função da peregrinação a Santiago de Compostela. Na Idade Média foi passagem importante, como atesta a ponte românica sobre o rio Iranzu e a grande quantidade de ermidas ali construídas. Villatuerta chegou a ser um feudo, abrigando alguns nobres entre a população de lide agrícola. De início, o Caminho entre Villatuerta a Irache passava por Zarapuz; com a fundação de Estella, em 1090, o Caminho foi desviado para a cidade de Ega. Em anos recentes, Villatuerta foi novamente revitalizada pelos peregrinos.