Os peregrinos de Santiago estrearão credenciais digitais no próximo ano sagrado

Neste outono, um portal de cadastramento será habilitado para os estabelecimentos participantes criarem seu selo digital

A Diretora de Turismo da Galiza, Nava Castro, o decano da Catedral, Segundo Pérez e o diretor da Fundação Catedral, Daniel Lorenzo, apresentaram ontem a credencial digital no Centro Internacional de Acollida do Peregrino. É um projeto que continua a ser trabalhado e que se insere num conjunto de avanços tecnológicos que a Igreja e a Xunta pretendem promover para tornar o Caminho cada vez mais seguro. Destina-se a manter a confiança dos viajantes.

O aplicativo oficial que será lançado com este programa permitirá que se tome precauções extremas de segurança e se evite contatos diretos. Estará disponível na primeira semana de janeiro de 2021, no início do ano sagrado. Ao longo do próximo mês (outubro), será habilitado um portal de cadastramento para os estabelecimentos participantes elaborarem seu selo digital.

O deslocamento digital e o cadastro online, dois outros processos que acompanham o projeto de credenciamento, já estão em andamento. Eles possibilitam reduzir o efetivo do Centro de Recepção de Peregrinos de Carretas e evitar aglomerações, além de ampliar a capacidade para atender mais pessoas.

O aplicativo é uma credencial real, como seu precedente em papel, mas em formato digital. Graças a ele, os viajantes poderão capturar seu selo correspondente a cada parada por meio de um código QR. A tecnologia gera a mesma imagem do carimbo tradicional, para não perder a essência do carimbo tradicional.

Após fazer o download da ferramenta, que estará disponível em diversas plataformas e em vários idiomas, o peregrino deve selecionar o Caminho que vai percorrer, para carimbar digitalmente a cada parada. Terminado o percurso, todos os dados ficarão gravados na Oficina del Peregrino, onde, graças aos algoritmos com que trabalha o aplicativo, o Caminho percorrido será imediatamente verificado, antes da emissão da Compostela.

Outro benefício do aplicativo é a capacidade de conectividade. Os dados utilizados passarão a fazer parte do cadastro de Santiago, aumentando a agilidade dos processos e reduzindo o tempo de espera dos peregrinos. Além disso, o número de caminhantes que chegam em um dia pode ser monitorado. “Permite ver as capacidades futuras e pensar sobre como agir”, disse Nava Castro referindo-se ao Covid 19.

Os primeiros dados sobre a peregrinação após o confinamento foram, segundo o reitor, “uma lufada de ar fresco”. Mas, com o passar do verão, eles desceram. O influxo diário antes da pandemia, para o mes de agosto, era de cerca de 3.500 pessoas. Este ano (2020) não chegou a 1.000. Esta tecnologia visa reativar o Camino para o ano sagrado. “Tenta evitar contágios”, diz Castro.

____________

Publicado em La Voz de Galicia, em 30.09.2020

Detalhes do Evento